La Tortilla de mi Madre

Sinopse

Uma tragicomédia sobre a Solidão, a Criação e o Tempo que passa…

15 de Setembro de 2018
Encontro de Teatros em Esposende – Auditório Municipal

Mi Madre leu todos os clássicos. Leu também os românticos, os modernos e os contemporâneos. Delira com Pessoa, Faulkner e Lorca e as suas obras vivem com ela. Livros, livros, livros.

Ela curte todos os clássicos da música. E el Flamenco. E a Bossa Nova. E todos os de la Movida Madrileña. Os discos também não faltam na casa de mi Madre. Nem um gira-discos.

Nem um cuco dentro do relógio que não para de marcar as horas. Nem uma salamandra a arder por dentro. Também há uma salamandra, da família dos anfíbios, seca por dentro e por fora, guardada algures para mostrar à neta quando vier de longe para visitar.

Ela faz as melhores tortillas do mundo. Ouve a música a altos berros e lê Samuel Beckett ao som dos filmes de Pedro Almodóvar.

A solidão e o gato, que nunca aparece, são seus fiéis companheiros.

Ficha Técnica e Artística:
Criação e Interpretação: Noelia Domínguez e Sérgio Agostinho // Técnica Vocal: Joana Valente // Caracterização e Maquilhagem: Maria Simões // Espaço Cénico: Peripécia Teatro // Figurinos: Peripécia Teatro e Cláudia Ribeiro // Iluminação: Pedro Pires Cabral // Produção Executiva: Sara Casal // Direcção, Co-criação: José Carlos Garcia
Duração Aproximada: 65 min. Público em geral M/ 12